sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Desabafo

Preciso esquecer os amores antigos
Para que eu posso amar os amores vindouros.
Não sei o que há, o que acontece comigo,
Mas não consigo deixar de lembrar tais amores.

Sinto a tristeza chegar ao revê-los.
Dói o coração, o peito aperta.
Estive tão perto, cheguei a tangê-los.
Mas hoje somente a saudade desperta.

Existem lembranças tão dolorosas na minha cabeça
Que quando as visito me lembro porque fiz questão de esquecê-las
Mas ela não passam, ficam lá, silenciosas, no escuro.
E quando resurgem, urgem dentro do meu peito,
Minha cabeça explode, me pego em desespero.

Malditos pensamentos que me pegam desprevenido.
Preferia a vida sem memórias, do que ter que convivê-los.
Somente a pá do esquecimento consegue fazer da vida algo menos doloroso
Pois com tais lembranças, a vida é só dor, lágrimas, e a falta de alguém.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Vontade Louca

O erro foi o primeiro beijo dado.
E eu, sabendo, já havia avisado.
Pois já previa os caminhos do meu desejo,
Já pressentia o eterno sabor da lembrança.

O primeiro passo, derradeiro de todo fim,
A sempre doce memória do seu toque ardendo em mim,
Os labios tenros que tangeram os meus,
O lindo riso e os cabelos seus.

O erro, qual me recordo agora,
Não traz a paz, que já tive outrora.
Nem a vontade, que não vai embora.
Só o teu jeito, já me enamora.

Por isso busco saciar em vão
Esse querer, essa vontade louca.
E nessa, insisto feito um pagão
Sorver o seu corpo ou, quem sabe, a boca.