quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Desenho de Giz

Quem quer viver um amor
Mas não quer suas marcas,
Qualquer cicatriz?

Ah! Ilusão, o amor
Não é risco na areia,
Desenho de giz.

Eu sei que vocês vão dizer:
A questão é querer,
Desejar, decidir.

Aí, diz o meu coração:
Que prazer tem bater,
Se ela não vai ouvir.

Aí minha boca me diz:
Que prazer tem sorrir,
Se ela não me sorrir também.

Quem pode querer ser feliz,
Se não for por um bem,
De amor?


Autores: João Bosco & Abel Silva
Música e Letra

Não me pergutem o que é, somente escrevi

Onde só ouvisse o eco dos meus pensamentos
E de lá de dentro, não desejasse mais sair.

Viveria a me alimentar de sonhos, desejos, e lembranças
Não ousaria mais ansear, desejar, almejar




Queria viver a vida dos meus poemas
Que vem quando querem, e nunca se despedem
Queria encantar assim como meus versos
Tão tolos, tão simples, tão tristes, como eu

A liberdade das minhas lágrimas
que derramo ao escrever
me despertam o alívio de saber que, pelo menos,
algo em mim pode agir ao seu modo

Sem preocupar-se com nada, além de si mesmo.


Queria ser vida, ser dia, ser todos
Estar pra todos...

Mas de tanto querer,
meu querer é triste,
e a contra-gosto
prefiro ser só.